terça-feira, outubro 17, 2006

SALVEM O CRÍTICO COM CULHÃO!

Esqueça o Mico-Leão. O Crítico-Com-Culhão é o verdadeiro animal em extinção! Nunca viu um? É aquele cara com a manha de criticar sem medo os artistas da MPB. Ele espinafra a pobreza das rimas do Lenine (“O umbigo é meu amigo”. É mole?) e assume que Gal Costa já era, por exemplo. O avesso dele é o Crítico-Bundão. O Crítico-Bundão é como o PMDB: fica sempre em cima do muro. Ele acha Carlinhos Brown um gênio e chama Chico César de ”poeta”. Nunca fala mal de ninguém e sempre dá 3 estrelas, para não comprometer. Ele ouve o novo disco da Preta Gil e elogia o “esforço” da garota (claro, ele não é louco de elogiar demais, mas também não tem coragem de dizer que é um “monte de cocô”).

Temos uma bela oportunidade para encontrar Críticos-Com-Culhão por aí. As lojas de cd estão abarrotadas com os novos discos de Caetano Veloso e Arnaldo Antunes, respectivamente “Cê” e “Qualquer” (ah, eu adoro esses títulos). O verdadeiro Crítico-Com-Culhão não vai deixar passar em branco. Mas até agora eu não encontrei críticos dessa espécie dando sopa. Já procurei na Internet e nada. Nenhuma resenha negativa. Nem umazinha. A maioria baba um ovo federal.
Tem quem elogie o estilo “roqueiro” do novo disco de Caetano – sem perceber que Caetano fazendo rock é algo tão natural quanto Richard Clayderman fazendo forró. Já “Qualquer” é elogiado pelo clima ”intimista” – eufemismo para “mal produzido". Tirando uma ou outra ressalva, todo mundo pega leve. O pior comentário diz que o ”novo disco de Caetano é difícil”. Expliquem para mim: difícil é virtude ou defeito? Você beberia um vinho “difícil”? Você penduraria um quadro ”difícil” na sua sala?

Peço a sua ajuda, leitor. Quero que você procure críticas realmente devastadoras sobre esses discos. A única regra é a seguinte: deve ser publicada em revista, jornal ou em site especializado. De preferência por críticos profissionais, que sejam pagos para escrever. Não vale blog ou sites informais, mantidos por gente como eu, que vive de fotosíntese. Se você encontrar uma, mande para mim: waltercarrilho@uol.com.br com cópia do texto e, se quiser, uma foto sua e o seu comentário (manere nos palavrões, por favor). Se for uma dica verdadeira, eu publico aqui. E você ainda ganha o exclusivo selo “Eu sou amigo do Crítico-Com-Culhão" para mostrar aos amigos.

Vamos preservar o bom senso e a honestidade: Salvem o Crítico-Com-Culhão!

14 Comments:

Blogger Ricardo Rayol said...

Walter Carrilho é realmente do Carralho. Até hoje só li uma crítica do genero numa edição de Veja lá pelos antanhos de 90 e poucos contra Paulo Caolho. Nema Bruna Putistinha foi alvejada quiçá Caê (que devia ser chamado de Caô) e Arnalado Antenunes.

terça-feira, outubro 17, 2006  
Blogger Serjão said...

Pô Walter, mas não serve a minha não? Tudo bem que vc já conhece mais eu dava um teremndo UP nos coices que dou nestes caras. Seguinte: O engraçado nestes criticos babaovos são as criticas que fazem aos artistas mais populares.

Abs

terça-feira, outubro 17, 2006  
Anonymous rattus said...

Ninguém vai falar mal de Caetano. Para a iomprensa ele é Deus. rs. Acho que eles tem medo de serem castigados, atingidos por raios ou coisa assim.

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Anonymous Anônimo said...

Quando o cara usa o termo "difícil", quer dizer que não gostou e não entendeu o que é aquele troço, mas tem medo das conseqüências. Tipo aquele aluno que sabe a resposta, mas tem medo de virar motivo de risadas.
Provavelmente o crítico que disse isso não quis levar um puxão de orelha do chefe, que não quis levar um tranco da gravadora.
"Difícil" deve ser abreviação de "difícil de engolir".

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Anonymous Anônimo said...

P.S.: Vai se vangloriando dos próprios culhões, vai. Logo o Exmo. Deputado marca uma entrevista exclusiva (e bem particular) com você, pra mostrar o que há por trás e por baixo dos panos. Aí o pau vai comer.

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Blogger Kafé Roceiro said...

E salve! salve! Abraços, amigo!

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Anonymous Ordisi said...

Eu, criticar o Caetano?

Afffff!!!!

:)

Abraços.

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Blogger Nat said...

Walter,

Pergunto-me quando no Brasil teremos milhares de críticos (assim como temos milhares de técnicos de futebol) com culhões na política...

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Blogger + Kazzx + said...

Caro Walter,

Se ninguém falou mal deve ser bom a beça, ou não?, da minha parte não escutei e não gostei de nenhum dos dois lançamentos, mais destrutivo impossível.


Abçs

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Blogger Nat said...

Crítica: serve esta? http://www.cronopios.com.br/site/critica.asp?id=1787

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Blogger + Kazzx + said...

CAro Walter,

Esqueci de agradecer, pensei que era só eu que achava o Lenine um impostor, conseguiu acabar até com o Living Coulours, foi produzir um disco dos caras e a banda miou, já não estou só nesta, só falta agora você me confirmar que o Oto (aquele que só come mulher gostosa) é maluco de pedra e deveria estar internado com camisa de força.


Abçs

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Anonymous Vera said...

Olá Walter! Eu só te digo que: “Eu sou amiga do Crítico-Com-Culhão na Política"... kkkkkkkk. :-) Beijocas MIL

quarta-feira, outubro 18, 2006  
Blogger mercedes poison said...

Assim não valeeeeeeee!!!Faço todas as resenhas possíveis metendo o pau (no MAU sentido mesmo) nestes idiotas todos, só que elas circulam apenas nas mãos da minha professora de Redação Jornalística!!
Crítico-com-culhão, pelo jeito, só desempregado ou estudante-estagiária-pobre, como eu..hehehehe

Um abraço e vou voltar pra ver quem achou uma resenha negativa sobre estes lixos....

quinta-feira, outubro 19, 2006  
Blogger Walter Carrilho said...

Nat: tô tentando ler o texto. mas o cara fala demais! rsrs. Aguarde a avaliação em breve!

quinta-feira, outubro 19, 2006  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home