quarta-feira, janeiro 10, 2007

NÓS NÃO TEMOS LAWRENCE DA ARÁBIA

Depois de ficar com o blog travado, graças à manutenção do Blogger, voltamos ao batente.
Os ingleses têm sorte. Eles têm pessoas como David Lean para contar histórias de heróis nacionais em filmes grandiosos, como “Lawrence da Arábia”. Os americanos têm Oliver Stone. Com a gente é diferente. Temos que apelar para as novelas e para pessoas como Glória Perez. Ela é a responsável por “Amazônia", a nova minissérie da Globo. É uma epopéia sobre a história do Acre. Não vai me surpreender se pintar aqueles lances de bebês trocados na maternidade para “apimentar” a história. É o que dá ter Janete Clair ao invés de Shakespeare como “referencial dramático”. Nossas marcos dramáticos são índias peladas no rio e Betty Faria fungando.

Em entrevista, Glória Perez, que é acreana, disse que queria contar a história “desse povo que lutou para se agregar ao Brasil”. É sério isso, gente? Sinceramente, se eu fosse acreano, eu faria de tudo para esconder esse detalhe. Lutar para fazer parte do Brasil é uma coisa estúpida “pra caray”. O problema de minisséries que fazem “revisionismo” histórico é o ufanismo meio mongo. Tudo vira heróico e as pessoas falam como se fizessem parte de um poema de Camões. Não dá. Dom Pedro vira um puta cara e, se bobear, até Carlota Joaquina fica bonita. E o curioso é que todos os heróis têm a cara do José Wilker. Ou seja, todos os presidentes, imperadores, cardeais e desbravadores ficam com aquele jeitão trincadão. É meio esquisito. Desconfio que ainda vão criar um papel de um índio muitcho loco para ele em uma minissérie sobre o descobrimento do país. Só para ele aparecer peladão na praia. Sei lá, deve dar ibope.

E o bacana de tudo isso é que tem grana do governo na jogada, como você já deve saber. Ufanismo é mesmo um baita negócio por aqui. Qualquer um pode se dar bem, basta criar um filme ou novela sobre um bandeirante ou cangaceiro. E colocar o Wilker no papel central, chhheeeerto?

16 Comments:

Anonymous Vinícius Martim said...

É, Walter, estava esperando um post seu sobre essa minissérie.
Concordo com a maioria das coisas que você diz aí, e outra, essa coisa de uma Globoalizão da história brasileira sempre acontece nessas novelas de época. Só pra tentar esconder a verdade porca que foi a história do brasil e mostrar tudo bonitinho pro provão!
Abraços, Walter.

quarta-feira, janeiro 10, 2007  
Blogger Jorge Sobesta said...

Para essas mentes que colocam índios brasileiros loiros e de olhos azuis em suas novelas tudo é possível.

Um abraço.

quarta-feira, janeiro 10, 2007  
Anonymous Anônimo said...

O pior de tudo sabe o que é? SABE????

Eu não assisto praticamente nada de tv, então nem posso descer a lenha.Coisas da vida, fazer o quê...
Mas se você achar que deve eu já começo. Bem ao estilo, "se sei eu conto se não sei invento".
Ha!

Um abraço

PS: a última coisa que me lembro de ter assistido na Globo foi o primeiro capítulo de Dancing Days. É mole?

quarta-feira, janeiro 10, 2007  
Anonymous Anônimo said...

Como o senhor já disse, um dado interessante sobre as mais novas minisséries brasileiras, em especial as de época, é que os políticos (quase sempre interpretados pelo Zé Wilker) viram santos. Vide Galvez, Kubitschek, Bento Gonçalves, entre outros. E, claro, sempre há um coronel rico e malvado.

quarta-feira, janeiro 10, 2007  
Blogger Ricardo Rayol said...

Pensando bem... será uma forma de preparar o povo brasileiro para a devolução do Acre à Bolóvia? Assistindo essa josta a rapaziada vai ficar tão irada que vao querer mandar de volta mesmo

quarta-feira, janeiro 10, 2007  
Blogger Serjão said...

Walter:
Eu não consigo entender isso. Novela é uma coisa menor em qualquer lugar do mundo. Ridicularizado mesmo. Aqui vira proeminência cultural etc. E de todas as piores são as da Glória Perez. É uma viagem na mais profunda maionese. Lembra daqueles dois clonados que viviam viajando para o Marrocos como se o país africano fosse ali na esquina? É muito idiota. Eu duvido de qq coisa que divide da minha inteligência. E novela abusa deste direito. É como vc disse: aproveitam a porra do formato da novela para tudo tudo.

Quanto ao Acre, eu lembro da piada:
-Onde vc nasceu?
-Nasci No Acre.
-E nasce gente lá?


Abraços

quarta-feira, janeiro 10, 2007  
Blogger Palomon Chunchón said...

Me gusta las indias de tetas caídas de la gloriosa nación brasilena de rica historia, fuerza e lucha. Ufanísimo, que puerra es esta?

quinta-feira, janeiro 11, 2007  
Anonymous André Pudiesi said...

A Grobo (sic) é responsável por 85% do nosso cordeirismo... e do burrismo também.

Lembra da JK? (caceta, era o José Wilker!!).

O filho de quenga do Presidente enfia o Governo do pais no meio de porr** nenhuma para afastar o povo das decisões políticas e a Grobo transforma o cara num mártir?

Sem contas os personagens infantis e toscos: motoboy (cachorro-loco) que andava de moto custom, Malhação que todos têm olhos verdes...

Novela é uma bosta. o SBT quase acertou em colocar vários seriados legais no horário nobre, mas o abestado do Abravanel fica num tira e põe, começa e pára típico de Cicarelli...

Well, viva o P2P...

Dá licença que vou ver os 4 episódios que puxei da sexta temporada de 24 horas...

[]s

quinta-feira, janeiro 11, 2007  
Blogger Walter Carrilho said...

Palomon:si, pero tu mama nos gusta más...

(caceta, chorumelo, eu quase levei a sério...)

quinta-feira, janeiro 11, 2007  
Anonymous Anônimo said...

Vc é único e su humor levanta a moral, nesse país, vc é uma benção pq as notícias só nos levam ao desepero.
Valeu Walter, recuperei as forças...
Um abração
SôniaSSRJ

sexta-feira, janeiro 12, 2007  
Blogger B R E N A said...

Preciso fazer um comentário que, a princípio não tem nada a ver, mas tem, na verdade! kkk
A maior preocupação do brasileiro é com quem vai ser eliminado daquela merda daquele big brother. Enquanto tanta coisa acontecendo, gente desabrigada por causa das enchentes, fome e o caralho a quatro... por isso que esse país tá na merda igual tá!
Tem que explodir a globo, pelamordedeus!

sexta-feira, janeiro 12, 2007  
Blogger Ollie McGee said...

Ai que eu não agüento mais ver o J. Wilker de "héroi" e figura histórica na telinha. Nossa história é um lixo e nossos personagens históricos (em sua grande maioria) insignificantes. Nunca tinha ouvido falar desse tal de Galvez e prefiro não ficar sabendo...

sexta-feira, janeiro 12, 2007  
Anonymous Anônimo said...

Amigão preciso de sua ajuda.
Por favor me visite e participe com seu voto e suas consideraçoes em nosso movimento de coesão.
Te aguardo ansiosa.
Agradeço desde já.
Abraços
SôniaSSRJ

sábado, janeiro 13, 2007  
Anonymous Eduardo said...

Pô galera, fal sério também né, cada rolo que mostra que aquele BBB é no mínimo em grande parte faxadaaaa, aí vem mais um BBB, que tah parecendo mais novela da Glória Perez, incluindo que tem gente lá que trabalha(va) na globo, aí eu sou obrigado a ouvir totais imbecis da minha classe, comentando sobre quem eles acham que vai ir pro paredão, e ainda tenho que explicar o porquê de eu não assistir quando alguém me diz que eu sou idiota de ficar fazendo lógica enquanto passa "BBB", o que eu disse acima se aplica ao resto da programação da globo, só chego a assistir "Pé na jaca", pelo menos as piadas babacas estão dentro da novela e não são a própria. Pra uma programação digna, soh apelando pro exterior, series tipo Dexter, tem também 24 horas, Cirurgia e tals, mas como Dexter não tem, e aew alguém quer um link para download?

domingo, janeiro 14, 2007  
Anonymous Fernando said...

Sempre falei do estado do Acre neh?

Agora q to com a razao, vo falar o q?

Melhor deixar pra lá...eh inutil mesmo.
Nao da...nao tem como concertar...entao deixa o povo continuar com a mente meskinha em virtude da gloBBBo.

Abraçao walter ^^

domingo, janeiro 14, 2007  
Blogger Blogildo said...

Nem perco meu tempo assistindo a essas bizarrices. Acre? Fala sério! É algo tão remoto para mim quanto a Nova Zelândia.

terça-feira, janeiro 16, 2007  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home