quarta-feira, setembro 23, 2009

É CULPA DA VANUSA

É a volta do nacionalismo boçal: achar que o país vai melhorar se formos mais patrióticos. Uma lei recém-aprovada obriga as escolas a executarem o hino nacional pelo menos uma vez por semana.

E aí, Juquinha? Qual é o objetivo? Obrigar a petizada a decorar a bagaça? Ou desenvolver nelas um ódio precoce contra o hino? Talvez a idéia seja confundí-las. Quero ver as professorinhas explicando o que significa “lábaro que ostentas estrelado”.

Sinceridade? Eu preferiria que as crianças decorassem o teorema de Pitágoras. Ou soubessem apontar a localização da Europa no mapa. Quando eu era criança eu decorei os afluentes do Amazonas (“O maior rio do mundo é brasileiro!”) e isso não me ajudou em nada, só para vencer jogos de trívia, o que, convenhamos, não é muita coisa.

Nação nenhuma cresce decorando hino, ainda mais um com uma letra tão besta quanto esse (“Gigante pela própria natureza”... sei, sei). Tocar hino não deveria ser obrigatório. Mas ensinar matemática e português decentemente, sim.

Vanusa, vê se não inventa de cantar o hino da independência, pelo amor de Deus...

Marcadores:

9 Comments:

Blogger Bete said...

Não diria que é coincidencia, porque é o assunto do momento, mas fiz uma postagem sobre o assunto no Interagindo .
Fiz referencia a este post, pois achei excelente.
Concordo com voce, o povo não precisa ser obrigado a cantar o hino. Precisa de politicos comprometidos com uma educação de qualidade.
Abraços

quarta-feira, setembro 23, 2009  
Anonymous Clóvis said...

Espero que a Vanusa não cante o hino da bandeira! Fiz exercito e cantava essa trolha direto e reto.

quinta-feira, setembro 24, 2009  
Anonymous Flavinha said...

Tio, se eu cantasse o hino saia pior do que a Vanusa. Sou uma anti-patriota?

quinta-feira, setembro 24, 2009  
Blogger Walter Carrilho said...

Não, sobrinha. Vc é como 99% dos brasileiros e não perde tempo em decorar uma bobagem dessas...

quinta-feira, setembro 24, 2009  
Anonymous LucianaRJ said...

Ah, Tio, não diz que o Hino é bobagem. Eu adoro. Mas também sou da época que isso realmente era ensinado nas escolas. Mas também era SUPER escolas - públicas, claro, que ensinavam português e pitágoras.

Realmente vc tem razão, eles têm que se preocupar com outras coisas, mas que é um mico ver seleções brasileiras balbuciando na hora do Hino...

sexta-feira, setembro 25, 2009  
Blogger Patrícia said...

Estudei no Colégio Pedro II, um dos poucos da Rede Federal de ensino no RJ. A escola existe há pelomenos mais de 100 anos, se gaba de ter sido criada para educar D. Pedro II e de ter formado Santos Dumont em seus anos mais jovens. Santos Dumont depois veio a cometer sucídio.
Não estou bem certa, mas pode ter tido haver com o fato de ele ter sido obrigado a cantar a porra do Hino Nacional uma vez por semana, + 1 hino comemorativo em datas especiais como 7 de setembro, + hino do colégio (yes, nós temos hino próprio da escola!) obrigatoriamente, tradição mantida (com o ritual do hasteamento da bandeira) até hoje pela escola.
Falávamos muita abobrinha durante a "cantoria" de hinos, mas ela tb nos dava alguns momentos formidáveis. Como por exemplo, perturbar aquela professora chata de música, cantando certos trechos com entonação errada de propósito, rsrsrs...
Deixe a molecada aprender a desrespeitar a bandeira nacional desde cedo, titio Walter! É saudável! ^^

quinta-feira, outubro 08, 2009  
Anonymous Luís césar said...

Não conhecia seu blog e depois de ve-lo no FdQ passei a ler. Estava tudo bem até eu ler isso: "Quero ver as professorinhas explicando o que significa 'lábaro que ostentas estrelado'". Sou professor e fiquei chatiado ao ler isso. Qual a sua profissão? Eu estudei 4 anos e meio para tirar minha licenciatura, estou fazendo mestrado. Professor precisa de ser valorizado. Uma pena eu ter lido aquilo. Fica a dica: Professor vale muito nesse País.

sábado, outubro 10, 2009  
Blogger Walter Carrilho said...

Luis: meu caro, a idéia não foi zoar com as professoras, mas sim com os alunos (e o autor da lei, claro). Sei que a professora vai saber explicar. Minha dúvida é se o aluno saberia entender. E, acredite: já fui professor!

domingo, outubro 11, 2009  
Anonymous l2ouro said...

muito bom!

domingo, outubro 18, 2009  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home