quinta-feira, dezembro 22, 2011

REDEFININDO O NATAL

Natal é como cerimônias de casamento e formaturas: são eventos importantes, cheios de significados, mas potencialmente bregas. A gente  fica com a sensação de que a Hebe Camargo está por trás de tudo.

São Paulo, por exemplo, desde o fim de novembro virou uma filial de Las Vegas. A cidade foi invadida por zilhões de lampadinhas piscantes. É engraçado, mas aposto como tem muito ambientalista que está gastando meia Itaipu para iluminar suas 856 luzinhas paraguaias da sala.

A trilha sonora da época já foi pior. Os supermercados estão evitando a piada fácil de tocar Simone. Mas insistem em resgatar velhas músicas de Frank Sinatra, com letras datadas sobre tobogã e lareiras. Gosto do Frank, mas toda vez em que eu vou a um Shopping Center e ouço esse tipo de música tenho a sensação de que o Amaury Jr vai pular na minha frente com uma taça de champagne na mão.

E tem essa estranha sensação de suar debaixo de um calor de 40 graus e ver neve, renas e o Papai Noel encapotado nas vitrines. Está na hora de acertarmos geograficamente o Natal. Papai Noel poderia vir de bermuda e chinelos. Eu acharia mais coerente. Aliás, seria legal avisá-lo para não perder tempo procurando chaminés nas casas. O risco é ele entrar em alguma chaminé de Cubatão e terminar no hospital com alguma infecção pulmonar.

Na verdade, a lista de elementos ridículos do natal é longa. Envolve “Ana Maria Braga de toquinha natalina” e, claro, “lista de presentes de amigo secreto”. A Folha de São Paulo publicou a dela. E, pasmem, sugeriu o disco eletrônico da Gal Costa, além dos novos trabalhos de Marcelo Camelo e Mallu Magalhães. Se eu desse presentes desse naipe, não seria convidado nem para bingo.

Enfim, já que as contra indicações são inevitáveis, me resta agradecer para o santo que inventou o chocotone. Nada como chocolate e gordura hidrogenada para aliviar a barra. Feliz natal para vocês, leitores. Podem abusar do chocotone. Eu recomendo.

Marcadores:

11 Comments:

Anonymous Rita said...

Cara, nem dá para andar na av. Paulista de noite. A manezada vai tirar foto da decoração, uma coisa pavorosa!

sexta-feira, dezembro 23, 2011  
Anonymous Anônimo said...

Walter, vc esqueceu de uma situação típica da época: aquelas tias velhas que vão no EXTRA e ficam brigando pra pegar o último chester (ou peru, ou tender - enfim: o que seja).

sexta-feira, dezembro 23, 2011  
Blogger Luciana said...

Não gosto de chocotone, gosto do tradicional panetone, assim como a tradicional rabanada.

Aliás, como todos-os-anos, tem sempre aquela receita de ceia de Natal "light", como se a gente se empanturrasse dessas coisas todos os dias...

Natal também me lembra que o verão já está entre nós.

Dias de multidões insanas em todos-os-lugares, filas quilométricas para qualquer coisa, e muita gente dando cabeçada por um pedacinho de espaço nas areias das praias. Ah, sim, além daquelas imagens traumáticas do Piscinão de Ramos, com aquele monte de gente feia e farofeira!

Como eu o-d-e-i-o o verão....


Mas.... Feliz Natal e 2012 prá ti também, Tio.

sexta-feira, dezembro 23, 2011  
Blogger André Luiz said...

sexta-feira, dezembro 23, 2011  
Blogger André Luiz said...

sexta-feira, dezembro 23, 2011  
Blogger Carlos Andino said...

Se acham Rio e SP horríveis é pq não conhecem Brasília! Se existe o inferno então o DF é a sucursal dele. O verão aqui é de chuva e aguaceiro até o mês de fevereiro pra depois a coisa ir ressecando até setembro quando aqui fica quente e seco o suficiente pra que um defunto vire uma múmia em pouco tempo, e se por um acaso ver um morto vivo andando pelas ruas é só mais um turista que se esqueceu de levar a garrafinha de água, o protetor solar e o soro fisiológico pra não ressecar. Sem contar os políticos (falam que aqui é a casa dos ladrões, ladrões estes que o Brasil todo manda pra cá a cada 4 anos), um bando de filhos de fazendeiros em suas tucson tunadas tocando Luan Santana, Michel Teló e adversos no uiltimo volume pra tentar pegar alguma patricinha, filha do funcionalismo público, em alguma boate cara, falando em coisa cara aqui a única atração são os shoppings centers (15 no total, e ainda com a previsão de mais 4 pra serem inaugurados até 2014) pois as poucas opções de lazer tem que pagar pra entrar (e que não é barato, pensam que todo mundo aqui é parente ou filho de deputado) e afora isso as únicas coisas que tem pra visitar são os panelões de concreto do Niemeyer (programaço...). Portanto não reclamem tanto de suas cidades, pois existem lugares piores que a cidade de vcs!

domingo, dezembro 25, 2011  
Blogger André Luiz said...

Putz Walter... Feliz Natal!

domingo, dezembro 25, 2011  
Blogger Luciana said...

Carlos Andino,

Chorei (de rir) com seu desabafo. Realmente, estar embaixo do sol de Brasília e ver uma tucson passar tocando Luan Santana ou Michel Teló é mesmo a visão do inferno!

Vou repensar minhas lamúrias!

Feliz Ano Novo prá ti!

terça-feira, dezembro 27, 2011  
Blogger Walter Filho said...

Eu ri com a Hebe por trás de tudo e com o Amaury pulando na tua frente com uma garrafa de champanhe!uashaus Ótimas festas p vc cara, e um 2012 excelente. Té+

terça-feira, dezembro 27, 2011  
Anonymous Giovani Mrozkowski said...

Verdade! Chocotone é igual ao Sapo Boi Azul: bichinho de Deus.

sexta-feira, dezembro 30, 2011  
Blogger Carlos Andino said...

Quanto ao chocotone vou esperar janeiro começar a botar pra fora os estoques pra comprar um. Afinal de contas é em janeiro e fevereiro que realmente encontro essas guloseimas fatídicas a um preço mais em conta, pq em época de natal o preço é de arrancar as vísceras do corpo!
Ano novo tá aí e solto essa pérola a la Paola Bracho: "Peço desculpas a todos a quem desejei a morte este ano,... tomara que ano que vem se concretize!"

sábado, dezembro 31, 2011  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home