quarta-feira, julho 06, 2011

VOCÊ ODEIA O CHICO BUARQUE?

Chico Buarque teve um susto: descobriu que na Internet existem fariseus que não gostam dele. Felizmente, Zeus mostrou seu bom humor e riu do fato nessa entrevista aqui. Chico é uma exceção. Se fosse Caetano já estava ateando fogo na roupa.
As pessoas não odeiam Chico. Nem eu. Pelo contrário, gosto de sua obra. Mas para mim, não existem vacas sagradas. Só que por aqui achamos que celebridades devem ser idolatradas sem restrição. E elas se assustam quando encontram alguém que não concorde com elas.
Talvez, se não houvesse essa divisão entre “eles” e “nós” o povo não mostrasse "seu ódio". Estamos  apenas fartos de tanta lambeção de saco. Não só no Chico. Mas em todos os ídolos intocáveis que são aplaudidos até quando arrotam.

O que parece ódio é apenas um rebote de uma opinião contrária que esta represada na garganta. Afinal, no Brasil é heresia falar mal de ídolos. Você conhece essa história: o cineasta lança um filme bisonho sobre suas lamúrias existenciais de filho de banqueiro. E aí o público simplesmente acha o filme um lixo. A culpa, claro, é do público, que ODEIA o cinema brasileiro e só gosta de “lixo hollywoodiano”.

Acho que é herança genética dos índios que faziam salamaleques aos portugueses que vieram para nos colonizar. Temos tendência a idolatrar qualquer um que suba um degrau. Estou para ver uma biografia que conte podres reais de celebridades. Até o nosso jornalismo marrom brasileiro é meio bege. Falta culhão em Pindorama.
Acho que nunca vou ver um filme como Ray, que mostra o mestre do soul como ele é: genial, mas cheio de defeitos e culpas. Por aqui, biografias em filmes são sempre feitas naquela toada baba-ovo, tipo “Lula, filho do Brasil” ou “2 Filhos de Francisco”: os personagens são sempre puros, imaculados. Seria melhor que nossos “deuses” fossem como os da mitologia grega: mesquinhos, pulhas, falhos.  Humanos, enfim.
Como reverter esse quadro? Simples: exponham os podres de João Gilberto. Mostrem as canalhadas de Gláuber Rocha. Comentem as falhas do Zé Celso. E falem mal do Chico. Mesmo que ele não mereça. Quanto mais espinafrarmos as vacas sagradas, mais saudável seremos. Porque plebe que tem medo de falar mal dos reis não tem futuro. 

Marcadores:

12 Comments:

Anonymous renatinha said...

Tio walter, vou confesar: eu gosto muito do Chico. Mas concordo, a critica bajula demais o boinitão aí!!!!

quinta-feira, julho 07, 2011  
Blogger Luciana said...

"O que parece ódio é apenas um rebote de uma opinião contrária que esta represada na garganta. Afinal, no Brasil é heresia falar mal de ídolos. Você conhece essa história: o cineasta lança um filme bisonho sobre suas lamúrias existenciais de filho de banqueiro. E aí o público simplesmente acha o filme um lixo. A culpa, claro, é do público, que ODEIA o cinema brasileiro e só gosta de “lixo hollywoodiano”. "

Tá aí o resumo da ópera. Ponto. Fim.

Mas o que esperar de um povo que é regido a novela da globo?

quinta-feira, julho 07, 2011  
Anonymous Amanda said...

O Chico foi bem humorado na entrevista, tirou sarro dele mesmo. Por isso a gente adora o Chico. Isso é elegância.

sexta-feira, julho 08, 2011  
Blogger Rodrigo said...

Como li uma vez, "Deus existe ou Ele é só o Chico Buarque?". Nada contra, mas para mim ele é só um músico, apenas. O problema da idolatria brasileira a atores/cantores/jogadores é que para admirá-los as pessoas se rebaixam. O povo acostumou com esse comportamento bizarro de tal forma que criticar se tornou heresia. Repare como jogadores de futebol e cantores, por mais podres que sejam, continuam a ser louvados e seus erros suprimidos pela mídia. A cegueira nacional é tão grande assim?...

sexta-feira, julho 08, 2011  
Anonymous Silvia said...

Ha cerca de 15 anos atras tive uma discussao com uma funcionaria minha, que era uma senhora humilde, mas de uma sabedoria excepcional. Ela estava ouvindo umas musicas no radio, bem breegas. Eu disse que nao gostava daquele tipo de musica. Ela me perguntou: " voce gosta do que, entao?" E eu disse, MPB, Caetano, Ivan Lins, etc. Ela replicou " Ah, voce e uma desas que gosta do Chico Buarque, nao e? Pois deixe eu te dizer uma coisa: eu sou pobre, mas nao quero por bandidos e prostitutas e coisas desse genero na minha vida. Essas coisas existem mas nao sao o trato da vida dos pobres. Eu nao gosto disso, e o Chico Buarque vive homenageando esse tipo de gente. Por isso eu nao gosto dele, e prefiro ouvir essas coisas que voce chama de brega, mas que pelo menos falam de amor e esperanca".
Nunca em toda minha vida recebi um tabefe na cara tao violento vindo de uma pessoa humilde. A partir desse dia comecei a rever seriamente o que e que eu realmente ouvia e gostava e a questionar o por que.
Para completar a historia: virei para ela, e disse, realmente do fundo do coracao: " Voce tem toda razao. Esta coberta de razao, e peco que voce me desculpe.
E a partir desse dia, so olho para a obra do Chico e outros luminares da MPB com um olho bem critico, avaliando que m....eles estao passando para o povo.
Chico tem estilo.....mas a minha linda funcionaria tem
moral, etica e senso de comunidade.
A gente deveria ouvir mais as pessoas que nosso
preconceito coloca como abaixo de nos. Normalmente eles tem mais sabedoria que a nossa arrogancia e capaz de admitir.

sábado, julho 09, 2011  
Blogger Luciana said...

Silvia, não precisa ir longe. No dia em que o Lobão começou a sentar o pau no Caetano (simbolicamente falando, tá), todo mundo caiu de pau nele também. Foi praticamente banido da humanidade por ter dado sua real opinião ao baluarte baiano.

Eu nem sei o que poderia acontecer comigo se um dia eu fosse alguém público e dissesse que nunca gostei dos beatles!

segunda-feira, julho 11, 2011  
Blogger Tuna Fusion said...

Pura pérola!! "plebe que tem medo de falar mal dos reis não tem futuro" - DEMAIS!!! Luciana e Silvia, estou c/ vcs tb!!!

terça-feira, julho 12, 2011  
Blogger patricia m. said...

Não, não gosto do Chico, nem do Gil, nem do Caetano, nem de ninguém da MPB, e sempre disse isso a todo mundo. Eu gosto de rock e rock bom é cantado em inglês, os daqui não prestam. Aliás, como disse alguém aí em cima, nunca gostei dos Beatles e sempre disse isso. Vocês têm medo do que?

quinta-feira, julho 14, 2011  
Blogger Patrícia said...

Olá Tio Walter, como sempre um ótimo texto, mas gostaria de dar algumas ressalvas. Não acho que as opiniões contrárias da internet, em sua grande maioria, sejam esse grito de liberdade todo que você expressa aqui. Vou te dizer, um dos meus passatempos favoritos no Youtube é ler comentários. Por quê? É o mais hilário conjunto de palavras desequilibradas, irrelevantes e surtadas que já vi! As pessoas são loucas! Poucos são os "bunkers" virtuais com boas comunidades de comentaristas. Quanto a apoiar que se exponha as falhas da produção nacional, embora seja algo legítimo, há que se ver também a qualidade de público que nós temos aqui, não é mesmo? Será que a mídia não escreve para satisfazer a um público idólatra e infantil, que NECESSITA de aval "oficial" para aquilo que gosta para se aprovar? Me parece que a raiz do mal comportamento de nossos artistas mimados e seu público esteja aí: eles usam o público para se auto-afirmarem; o público usa a crítica positiva da mídia e o sucesso do artista para suprir sua carência de auto-estima; enquanto isso a mídia continua publicando os textos que todos querem ouvir e ganhando seu dinheirinho honesto. Abraços!

domingo, julho 17, 2011  
Blogger Walter Carrilho said...

Patricia: sim, existem comentaristas desequilibrados. Mas tem também gente que tenta ir contra à maré de bajulação. E acho que a melhor forma de educar o nosso público é justamente ensinando-os a NÃO aplaudir todo mundo incondicionalmente, desvinculando-se da opinião da crítica. Tá na hora, né? abs

domingo, julho 17, 2011  
Anonymous Observadordepirata said...

A obra musical do Chico tem inegável qualidade. Já como ser político ele é execrável. Nunca abriu a boca para falar da corrupção evidente do PT. Jamais falou da ditadura de Cuba. Vergonhoso para um artista engajado como ele!!!!!

segunda-feira, dezembro 17, 2012  
Anonymous Rodrigo S. said...

Sinceramente, gostar do chico e de sua obra é facil, lidar com a sua estupidez politica é insuportavel.
A uniao das duas coisas é incomoda e estraga, em muito, ambos sentimentos.
fica dificil detestar totalmente e impossivel de gostar.

segunda-feira, março 21, 2016  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home