sexta-feira, março 30, 2012

DITADURA DO GOSTO É COISA QUE NÃO EXISTE

Ninguém é obrigado a detestar uma coisa apenas porque alguém diz que ela é ruim, certo? Mas e se a gente invertesse as coisas? E se você fosse obrigado a gostar de algo nitidamente medíocre apenas para não ofender o gosto vigente?

Se orgulhar do suposto “bom gosto” que você tem é babaquice. Mas se orgulhar do mau gosto também é de lascar, convenhamos. Pois existe por aí um movimento disseminado em redes sociais que trata o mau gosto como se ele fosse uma bandeira de autenticidade.

É gente que defende o direito de gostar de BBB. Que acha legítimo ouvir funk carioca orgulhosamente sem fone. Que considera “inspirador” a Época estampar Michel Teló na capa como símbolo dos “valores da cultura popular”. É um povo que diz se defender da “ditadura do gosto”.

Crianças, a ditadura do gosto não existe. Você tem o direito de gostar do que quiser: funk carioca, Calcinha Preta, etc, não importa. Você só não tem o direito de esfregar o seu mau gosto na fuça dos outros. É uma lei de decência social.

Por exemplo: tem gente que gosta de comer cocô. Mas, por uma questão de educação, eles curtem o fetiche em casa e não na sua frente, na mesa do restaurante. E se você encontrar um desavisado apreciando um prato de cocô na mesa ao lado é seu dever cívico pedir para o sujeito se retirar.

Inundar o Facebook e o Twitter com notícias sobre a final do BBB, com as últimas novidades do Luan Santana, ou algum Trend Topic sobre o Restart equivale a comer cocô em praça pública. Tenha mau gosto. Mas não se orgulhe dele, ok?

Eu adoro filmes idiotas. Tenho surtos de nostalgia do tecnopop mais deslavado dos anos 80. E também me amarro em Doritos Nacho. Assumo tudo isso numa boa. Mas não imponho meu gosto a ninguém. Não obrigo ninguém a ver “A última despedida de solteiro” ou ouvir “Soft Cell” em casa. Nem sirvo Doritos na ceia de natal. Eu me contenho.

Os maços de cigarro trazem foto de gente com câncer para lembrar o fumante dos riscos que ele corre ao consumir o produto. Pois eu acho que trolhas como o BBB deveriam vir acompanhadas de fotos de pessoas com morte cerebral para avisar os espectadores do risco que correm.

Aliás, ontem teve final de BBB. Ok, você ficou acordado para ver. É direito seu ver a bagaça. E é meu dever avisar que você está com cocô nos dentes. É apenas um gesto educado, saca?

Marcadores:

6 Comments:

Blogger IcE said...

Walter, taí um princípio democrático que o povo não respeita. Eu quase fui linchado quando mencionei numa conversa com o pessoal do trabalho que não via a menor graça nos humoristas "famosos" de standup comedy.

sexta-feira, março 30, 2012  
Blogger Luciana said...

Concordo plenamente com isso. O que acontece hoje em dia é o inverso de quando vc diz que não gosta de Caetano, Gil e Chico Buarque, e que acha o Milton Nascimento cantando uma tremenda mediocridade.

Houve um tempo em que eu achei que era totalmente desprovida da menor partícula de noção cultural, porque nunca curti Beatles e Legião Urbana. Isso era mais oculto que o 3º segredo de Fátima, eu não revelava a ninguém, com medo de um possível linchamento moral e cultural, porque eu preferia ouvir Titãs e Roling Stones, fazer o que?

Por outro lado, gosto de assistir ao programa da Cristina - Casos de Família - que é mega trash, ultra pobre e mega baixo nível. Gosto daquilo mas também não obrigo ninguém a gostar.

Estamos vivendo sempre sob alguma ditadura, e essa, infelizmente, não é só uma questão de gosto, mas sim de mediocridade. Porque não gostar de Gil, Caetano ou Chico pode até não ser intelectualmente aceitável, mas ter que dizer que curte Michel Teló, Luan Santana ou Fiuk já é o âmago da mediocridade.

Também gosto de Doritos Nacho, aliás, SÓ GOSTO de Doritos se for NACHO, mas também não o sirvo em nenhuma ceia.

sexta-feira, março 30, 2012  
Anonymous Anônimo said...

Gente que tem orgulho de ver bbb? Cara, eu esconderia isso dos outros como se fosse DOENÇA!

sexta-feira, março 30, 2012  
Anonymous Sr. Celeuma said...

Walter...Impressionante como nossas opiniões batem. Quando li que tu curte a "última festa de solteiro", cheguei a esta conclusão. EHOEHO...
Ser sincero e falar o que pensa é cada vez mais difícil nesse país hipócrita. Excelente blog. Só é triste ter que esconder o rosto pra se falar o que se pensa nesse país. Aqui, nós (considero-me um ferrenho crítico social, às vezes "Selnfeldiano" outras "George Carliniano") somos minoria. O que nos resta, é falar a verdade atrás de um pseudônimo ou máscara. Paciência. Já é melhor que nada.

terça-feira, abril 03, 2012  
Blogger Walter Carrilho said...

Sr. Celeuma: na verdade, eu escondo o rosto pq acho divertido manter o mistério. Mas, sim, somos minoria, meu caro. abs

terça-feira, abril 03, 2012  
Anonymous Anônimo said...

walter, esqueceu dos carros cheios de som, que ficam durante horas a fio te obrigando a ouvir sertanejo porcaria de hoje a todo volume e meia dúzia de mediocres fazendo pozes e batendo fotos daquilo, me dá arrepios qundo vejo essas coisas.

segunda-feira, maio 14, 2012  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home