sexta-feira, novembro 09, 2012

OS AMERICANOS COMEM CRIANCINHAS?


Nos anos da Guerra Fria, tinha gente que encarava os soviéticos como alienígenas sugadores de cérebro. Hoje a gente sabe que eles são como nós, apenas com algumas  doses de vodka a mais. Agora o papel de vilões mundiais cabe aos americanos.

É tudo culpa deles, você sabe. Comparamos os caras aos romanos que barbarizavam o mundo há alguns séculos - como se os outros povos bárbaros fossem bonzinhos, lógico. Tem gente que torce para ver os americanos se ferrando.

Vi gente comemorando a passagem do furacão Sandy por Nova Iorque. Um clima de “chupa, gringo!” É comum ter gente que vê erro em tudo o que se relaciona com os americanos. Por exemplo: a cobertura da mídia sobre o furacão. As reclamações sobre o foco quase exclusivo dado para os efeitos da tragédia nos EUA é justa. Mas dizer que é uma imposição dos americanos é balela.

Sim, Cuba e Haiti também sofreram os efeitos de Sandy. Mas os jornais do mundo têm pencas de correspondentes nos EUA. E nem sei se dá para ter correspondente no Haiti ou em Cuba, manja? Jornalistas são preguiçosos. Quem vai querer ir para Haiti? Os cafés de Nova Iorque são mais bacanas.

Mas os americanos nos deram algumas lições. Os casos de pessoas que tinham acesso a energia elétrica e deixavam os outros carregarem os celulares pulularam na mídia. Se fosse no Brasil, nego estaria cobrando 50 pilas a carga. Estou exagerando? Então basta se lembrar daqueles cretinos que roubaram suprimentos enviados para vítimas de tragédias em Santa Catarina. Somos gente fina, não? 

Americanos, até onde sei, não têm uma Nana Gouveia para tirar fotos posando ao lado de destroços. Se ela pegar gosto por esse lance de tirar foto de tragédia, em breve vai tirar fotos ao lado do próximo disco de Caetano Veloso. Americanos têm Lady Gaga. Que é ridícula, mas pelo menos não sai por aí dizendo que curte namorar durante furacões.

Também vi muita gente comentando a complexidade da eleição americana, defendendo a ideia monga de que nós somos democraticamente mais avançados só porque temos urnas eletrônicas. Sugestão? Leia meu último texto sobre eleições e pare com essa ideia de merda.

Americanos são estranhos e, muitas vezes, estúpidos. Não confio em um povo que faz churrasco de hambúrguer e gosta de baseball, essa porra de esporte que ninguém entende. Como todo país, eles têm ilusões de grandeza. E mitos fundadores fajutos (o cowboy do velho oeste é tão furado quanto a nossa imagem de bandeirantes arrumadinhos e “heroicos”). Mas eles são uma nação com alguns valores.

Exemplo: na festa da vitória de Obama, o que se viu foram pessoas agitando bandeiras do PAÍS. Não se via bandeiras de PARTIDO. O que talvez mostre que, para eles, o país é maior do que as picuinhas políticas. Vamos combinar que aqui é bem diferente?

Mas o mais engraçado é que os que falam mal dos EUA nas redes sociais geralmente usam Iphones para fazer seus comentários. Bitch, please...

Marcadores:

12 Comments:

Anonymous Silvia said...

O Tio! Vc anda muito serio!!! Sei que a coisa no Brasil ta pegando pesado, e que vc ainda tem que conviver com o Caetano Veloso, mas ta na hora de desintoxicar o figado, senao nao sobra espaco pro vinho frances que vc merece....

Pra dar uma ajudinha, vou fazer uma sugestao: Assista "Absoulutely Fabulous" (que pra mim e uma das UNICAS coisas geniais que vieram dos anos 90)

Clip dos PSB para a serie:
http://www.youtube.com/watch?v=LT0Hy_EQe_4&NR=1&feature=fvwp

E se quiser morrer de rir, veja se consegue pegar o especial AbFab dos Jogos Olimpicos deste ano.

Se quiser politizar, imagine que a Patsy e a Cristina Kircher e a Eddy e a Dilma. Obviamente a Saf deveria ser o povo, mas ela e muito chata!
Imagine-se como a mae da Eddy, Tio, senao teu figado vai pro espaco!

Com a Eddy e a Patsy tem pra todo mundo!

E eu to ficando com saudade dos seus saborosos artigos em djavanes!

sexta-feira, novembro 09, 2012  
Blogger Walter Carrilho said...

Silvia: sobrinha, me aguarde. A Preta Gil lançou clipe novo. Ia escrever sobre isso hoje. Mas o lance dos Eua ia passar.

Semana que vem rola.

PS: eu curtia muito as duas malucas do "Absoulutely Fabulous"!

sexta-feira, novembro 09, 2012  
Anonymous Silvia said...

To aguardando, Tio. Serio, um Djavanes vai me fazer bem.

Hoje e um dia daqueles, e to tendo que lidar com bobagens globais em grande estilo, vinda de tres continentes (vc pensa que bobagem so tem no Brasil?), entao decidi dar um tempo e partir pra gozacao com tudo e todos.

Desenterrei minhas musicas dos anos 80 e fui ouvindo. To rindo de chorar com as associacoes que to fazendo ao ouvir. Ve se vc concorda:

"Should I Stay or should I go" - The Clash -
(candidato ao Hino do Mensalao)

"Relax" - Johnny Goes to Hollywood
(Hino para Nana Gouvea)

"How can you expect to be taken seriously" - Pet Shop Boys
(esse eu ja tinha botado como Ode ao Caetano, mas serve como Hino Eleitoral Generico - cobre Brasil, USA e China duma tacada so)

"Stand and Deliver" - Adam and the Ants
(serve como Hino ao Orcamento Proposto da Uniao Europeia)

"In the air Tonight" - Phil Collins
(Hino do Furacao Sandy)

"Head over Heels" - Tears for Fears
(Hino a Tempestade Solar de hoje e as falhas da Internet)

"As the world falls down" - David Bowie
(Hino aos Republicanos)

E finalmente, fui dar uma olhada nos videos (pois e, Tio, to nesse embalo de saco cheio. Dei um tempo mesmo e to pensando em ir ate Camden e comprar umas roupas iguais as da Eddy e sair por ai. Despirocar de vez!).

E por falar nisso, Tio, da uma olhada na versao HD do Go West dos Pet Shop Boys, porque eu percebi umas coisas que nunca tinha notado antes.

Uma vez ouvi uma entrevista do Neil Tennant dizendo que eles faziam dois tipos de musica: Pop e Art.
o Pop cobria a clientela cativa deles (vc bem sabe que eles sao o grupo favorito da ala gay) e inclui dance music e coisas como Se a Vida E.
o Art cobre a parte que eu curto deles (West End Girls, King's Cross, London, etc). Essas sao mais serias, mais refinadas musicalmente e com letras muito legais mesmo.
(se ja gostava deles antes, depois dessa entrevista passei a admirar os caras. Isso e profissionalismo!)

Bom, me parece que no Go West eles misturaram o Pop e o Art. Se voce perceber nas entrelinhas, eles acabaram DE VEZ com TUDO!

Botaram: americanos comunistas, sovieticos gays, alusoes falicas russas e uma Estatua da Liberdade vermelha, com uma atriz negra!

Como o video foi lancado na epoca da queda do Muro de Berlim, passou meio desapercebido. Mas na versao HD da pra ver isso direitinho...

Os caras tacaram sarcasmo encima de simplesmente TUDO que a Guerra Fria simbolizava, e ainda agradaram o publico cativo deles!

Isso vc ve so no video, nao na musica.

Que que vc acha?

sexta-feira, novembro 09, 2012  
Anonymous João Matheus said...

Eu fico orgulhoso do meu país!
Brasileiro é tratado que nem cachorro em qualquer canto do mundo, e adora receber gringo aqui, é só ficar vermelho no sol e não falar português muito bem que a gente recebe de braços abertos! E se conseguir falar três palavras em português com um sotaque esquisito, mesmo que as palavras sejam "Brasil", "caipirinha" e "carnaval", a gente quase tem um orgasmo! Aí a gente acha graça quando gringo se fode, e há quem fique até satisfeito em ver que também existem problemas em outros países.




E pra completar, quando o Estados Unidos é atingido por um furacão, a nossa contribuição para ajudar é mandar a Nana Gouvêa pra fazer merda e encher o saco dos outros!
É muito orgulho pra um brasileiro só!
P.S.: Estou organizando uma vaquinha para enviar a Geise Arruda pra lá também...

sexta-feira, novembro 09, 2012  
Blogger Walter Carrilho said...

-Silvia: adorei as associações com as músicas!!! A do Caê, por exemplo, foi demais. Os pet Shop Boys eram mais espertos do que muita gente acha. Dos vídeos aos shows havia muito conceito por trás de tudo. Gosto deles.

Vou ter que ver o vídeo para conferir!

Valeu!

-João: eu dou uma força com a vaquinha da Geyse. mando até uma couve-flor para ela.

sexta-feira, novembro 09, 2012  
Blogger Patrícia said...

Já eu curto muitíssimo seus textos sérios. Esse foi certeiro again. :)

Sempre acesso o G1. Uma coisa que me chocou foi ver a capa do portal com mais de 50% de área coberta com notícias sobre o Obama. Quer dizer, parecia que o novo presidente do Brasil (ou do mundo!) tava eleito. É relevante, mas não era pra ter essa importância toda.

Sim, eles colocam o país acima de tudo. Mas temo que seja por puro hábito de focas amestradas, porque a maioria lá tb parece tratar a cosia toda de eleição como festa. Sério, olhe as fotos, os vídeos, os discursos. Tem dualidade de "bem/mal", que se alterna entre os partidos principais, os discursos são cuidadosamente apelões e emotivos... Parece indústria de Hollywood em seu melhor! É tudo um show, um filme! Como aqui! A diferença mesmo é que aqui tem narração de Galvão Bueno.

Infelizmente, sinto que por aqui, o povo tem se esforçado pra ficar igual aos americanos: cada vez mais individualistas, consumistas e alienados. Sim, rola bons exemplos esporádicos por lá - e aqui algumas vezes um coitado retorna 20 mil reais pra um empresário desesperado tb. São as exceções, mas elas jamais poderão confirmar a regra. Lá e cá, Walter, tudo igual. Apenas que nós somos "os novos ricos" da vez.

Desculpa o testamento. Bjs!

sábado, novembro 10, 2012  
Anonymous Anônimo said...

Pra falar bem a verdade, acho que o Jornal Nacional (quem diria!) tentou esclarecer porque raios os americanos não desenvolvem um sistema de urna eletrônica "unificado" como o nosso.

A matéria que eles passaram no dia da eleição mostrou que os americanos não votam só para os mesmos cargos, como funciona na nossa eleição. Lá um estado pode estar votando para presidente, senador e juiz, enquanto outro pode estar votando para presidente e para aprovar ou rejeitar a Lei X que depende de consulta popular.

É um jeito diferente de fazer as coisas, e não necessariamente melhor ou pior do que o nosso. Funciona pra eles há séculos, então há de ser dar crédito aos caras. Eles pelo menos não elegem criminosos contumazes como Sarney, Palocci, Genoíno, Dirceu e Renan Calheiros (que corre o risco de ser eleito presidente do Senado, pode isso?).

Isso me lembra o preconceito que existe contra o futebol americano: um jogo que ninguém se dispõe a entender e acha tão inferior ao nosso futebol, mas que depois que você entende como funciona (o que é menos dificil do que imaginam), percebe que é um jogo tão interessante quanto.

Mas o Walter tem razão: beisebol é chato mesmo.

domingo, novembro 11, 2012  
Blogger Luciana said...

Eu sei que eu sou muito monga em termos de... sei lá, um monte de coisas. Porém, no nível mais alto da minha monguice eu jamais imaginaria que existisse um ser que pudesse se alegrar com o furacão Sandy nos EUA!

Então eu só posso concluir que eu sou doida mesmo. E monga pacas!

Uma outra coisa muito boa que você mencionou, Tio, que na vitória do Obama a bandeira mais vista foi a do país.

Aqui... seria aquele mar vermelho...e podre!

segunda-feira, novembro 12, 2012  
Anonymous João Matheus said...

Capa do Jornal do Commercio de hoje:
"País tem 4 tentativas de fraude por minuto"

A cada minuto, aqui no Brasil tem 4 pessoas tentando se dar bem em cima de outra.

Orgulho do meu país, por isso que tá tudo uma merda no final das contas...

segunda-feira, novembro 12, 2012  
Anonymous cristiano said...

confesso que tenho sentimentos contraditórios pelos americanos, eles são arrogantes, obcecados por controle, por outro lado dão uma lição de patriotismo e costumam defender seus valores e convicções com mais garra e vontade (quero ver alguma pessoa pública aqui falar o que pensa a respeito de qualquer assunto sem ter medo das consequências)
sou brasileiro, mas digo sem um pingo de vergonha que cada dia mais
sinto vergonha disso, nossos políticos são os mais corruptos, nosso código penal é uma piada e o povo se preocupa mais com o resultado do brasileirão e com o que vai acontecer no próximo capítulo da novela das nove do que com qualquer outro assunto de ordem política, moral e familiar que esteja em pauta nos nossos jornais
(que estão mais preocupados em lucrar do que em informar).
em outros países os cidadãos deitam na frente de tanques e jogam pedras
a torto e a direita se a economia, saúde e educação não vai bem, aqui temos greves em hospitais e escolas públicas (que a nossa elite financeira não usa então estão pouco se lixando).
vale lembrar que só somos um país hospitaleiro, se o gringo tiver dinheiro para gastar, então é claro que quando chegarmos em outro país vão achar que estamos querendo nos dar bem e nos tratar com desconfiança; acho até que já esta na hora de parar de abrir as pernas para todo o estrangeiro que vem aqui, quem sabe passam a nos tratar com mais respeito la fora.
façamos o seguinte; vamos tentar imitar as qualidades dos americanos sem nos contaminar com os defeitos deles.

terça-feira, novembro 13, 2012  
Anonymous Cless Alvain (vermeamarelo@gmail.com) said...

Você caracteriza este amor patriarquico que os Americanos tem como benévolo e inocente, porém na
minha humilde opinião é justamente isso que demoniza os Americanos, esta é a pior falha de carater que
eles possuem, o que o senhor pensaria de mim senhor Carrilho se eu alegasse ser simpatizante do
movimento totalitario gerado pelo senhor Adolf Hitler? Eu suponho que o senhor não pensaria nada de
bom da minha pessoa não é? E não posso julga-lo pois acredito no ditado que diz "diga com quem tu
andas e direi quem tu és", se eu realmente seguisse a ideologia do fuhrer obviamente eu seria uma
pessoa com uma falha de carater e não poderiaser classificada como uma pessoa de boa indole.

Eu tenho certeza que se o senhor fosse na alemanha e perguntasse para os alemães, quase todos ou no
minimo 98% diriam que tem vergonha do que seu país fez, e a humanidade nunca vai pensar na
Alemanha novamente sem lembrar suas atrocidades tenho certeza de que qualquer pessoa que pense em
qualquer coisa relacionada a Alemanha vai associa-la logo ao nazismo, agora por que os norte-
americanos podem amar seu país mesmo após todas as atrocidades que eles fizeram, eles tem orgulho
sim de suas tradições de suas chacinas, suas guerras e demostram tudo isso nos filmes que eles
fazem aonde demonizam Russos, Japoneses, Indios, E por incrivel que pareça até Vietnamitas, mas na
minha opnião eles são dignos de serem comparados aos nazistas, eu sou ateu, mas tenho certeza que se
o inferno existisse lá não se falaria Russo, Japonês nem Vietnamita, tenho certeza que a
lingua oficial do inferno seria Inglês com sotaque norte americano e teria tantos americanos lá que o
inferno não demoraria tanto tempo para se chamar de Estados Unidos da America.

Essa é uma diferença entre os Americanos e Brasileiros, os Brasileiros não se permitem amar uma
coisa ruim como a nossa patria, talvez porque o maior mal que nossa patria ja fez ou continua fazendo
seja contra nós mesmos, enquantos os americanos se acham superiores e demonizam os outros,
enquanto eles que são os grandes vilões da história e ainda são do tipo de vilão que sentem orgulho
das desgraças que provocam,

" Um dos maiores ataques terrorista de todos os tempos foi quando os americanos invadiram o Vietnã,
Uma desgraça em uma escala muito maior do que a queda de duas torres michurucas"

Haja Paciencia pra ler essa porra isso que eu resumi.

domingo, novembro 18, 2012  
Blogger Walter Carrilho said...

Cless: os americanos fizeram muita merda.Nós brasileiros também fizemos. Fizemos massacres (a Guerra do Paraguai foi uma chacina), tivemso aventuras, etc. Todo país faz merda. Isso não impede o povo de ter orgulho de ser o que é. Os alemães têm vergonha do passado nazistas, mas não têm vergonha de ser alemães.

Os americanmos exageram em muita coisa.Mas não merecem o ódio apenas pelo ódio. Tem gente que odeia americanos pela moda. Mas é capaz de aplaudir outros países que fazem merda por aí. Tem quem critique Guantanamo, mas faça vista grossa pelos presos políticos de Fidel. Essa é a questão.

terça-feira, novembro 20, 2012  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home