quinta-feira, abril 05, 2012

RENDA-SE À ORKUTIZAÇÃO, CARA PÁLIDA

Orkutizar é um termo cretino que pegou. É tipo “preto de alma branca”: um termo reaça que o sujeito usa achando que é “menos ofensivo”. O alvo do momento é o Instagram, que agora pode ser usado por quem tem Android – e não apenas usuários do Santo Graal da tecnologia, o Iphone.

Exclusividade é uma coisa que precisa ser defendida na base da ignorância disfarçada, vocês sabem. Chamar a popularização do Instagran de “orkutização” é ser reaça. Com dedo mínimo levantado e combinando com o vinho certo. Mas é reaça. Ponto.

Antigamente a “elitezinha cultural” reclamava apenas quando pessoas de menor renda tinham acesso ao que garantia estilo e tecnologia. Agora querem monopolizar a cafonice, também. É como se, de repente, dirigir fusca virasse moda e só o povo que tem um Crossfox na garagem pudesse curti-la.

Vamos combinar: tirar foto do que comeu é cretinice. Não importa se a foto é de sushi ou de esfiha do Habib´s. Não é cafona porque o sujeito comprou um celular em 24 vezes. É cafona porque é cafona (e nada mais cafona que a própria palavra “cafona”). É cafona pela falsa ilusão de revelar sensibilidade e repertório artístico. É tipo Ana Maria Braga desfilando com um livro de Tolstói, saca?

Aprendam: uma coisa só é “orkutizada” (com perdão pelo uso do termo) se essa coisa já era, na essência, estúpida. O Facebook foi “orkutizado” pelas fotos e mensagens babacas? Sinto lhe dizer, mas aposto como você já tinha esse costume de tirar foto fazendo biquinho na frente da câmera.

Ninguém mandou defender a democracia, cara pálida. Agora você vai ser obrigado a perceber o quão cretino você já era. A turma do fundão também vai poder exibir as mesmas manias mongas que você. Quer exclusividade? Volte para a Europa da Idade Média e torça para ser aceito como barão. Ou procure pela próxima modinha. Sugestão? Algo me diz que Diplink ainda vai virar hype.

Fico aqui torcendo pelo dia em que Almodóvar será apreciado pela turma da perifa, só pelo prazer de ver leitores da revista Bravo jogando fora suas cópias de “Fale com ela""Almodovar? Muito orkutizado por meu gosto". Vai ser engraçado.

Marcadores:

8 Comments:

Blogger Paulo_weidebach said...

Puxa vida. Tirei foto do prato na minhas férias e adorei....

quinta-feira, abril 05, 2012  
Anonymous Otavio Costa said...

Sensacional!!! Tirô daqui...

quinta-feira, abril 05, 2012  
Blogger Walter Carrilho said...

Paulo: foto de prato nas férias é válido (eu já tirei), desde que não se publique com pretensões a ser um Robert Cappa gastronômico, saca?

sexta-feira, abril 06, 2012  
Blogger Patrícia said...

Cara, o artigo disse muito. Mas a foto da coxinha com filtro hipster do instagram falou TUDO. Sperio!

sábado, abril 07, 2012  
Anonymous Vinicius said...

O pessoal usa os efeitos do Instagram pq ele deixa as fotos diferentes. Só que com todo mundo usando os mesmos truques acaba ficando tudo igual. É como o cara que faz uma tatuagem achando que está "radicalizando", mas faz o mesmo desenho que todo mundo. Está tudo muito banalizado!

domingo, abril 08, 2012  
Blogger Carlos Andino said...

Posso até estar saindo um pouco do assunto mas não deu pra escapar. O comentário acima citou de tatuagens e isso me lembrou o que ando vendo a cada dia. Em todo lugar tem um bombado com a mesma tatuagem no braço de uma carpa japonesa desenhada em xilogravura ukiyo-e, e digo isso pq vi um cara na academia, bombado, com a mesma tautagem, um cara na loja de nutrição esportiva, o Rodrigo Ferraz (Mr. Tetas, o único homem que poderia usar um sutiâ meia-taça e ficar mais legítimo que um travesti bem feito, ADE fail!), um cara na praia em João Pessoa - PB, e achando que não era suficiente, quatro bombados dentro do ônibus com a mesma tatuagem que citei! Parecendo até que esses caras são todos feitos em série! Já tava pra arriscar meus dentes perguntando pra um deles se eles compram a tatuagem deles na embalagem de chiclete ou é falta de originalidade mesmo! Só penso aqui comigo que esses bombados não possuem cérebro suficiente pra fazer algo mais original que isso: se parecerem com um bando de bonecos Max Steel feitos em série em alguma fábrica de plástico chinesa!
Eu vejo tatuagem como uma coisa muito pessoal e que deve ser uma marca que signifique o que a pessoa é ou gosta, mas no caso de certas pessoas isso mostra o quanto que decaímos em matéria de criatividade e originalidade!

domingo, abril 08, 2012  
Anonymous Silvia said...

Sabe o que e o pior de tudo? E que toda essa tecnologia seria MUITO util pra fazer algo que presta numa escala maior que a dos cientistas de verdade (porque tem muito cientista que se acha mas nao e nada..)
Mas tudo isso acaba sendo usado na maioria das vezes, se nao mais, pra absolutamente...NADA! So pra se exibir.
E ainda por cima de um jeito enrustido!
Tio Walter, se voce costumava assistir Absolutely fabulous eu ate aceitaria que a Patsy e a Eddie usassem essas coisas pras baixarias delas...pelo menos elas eram ASSUMIDESIMAS! E isso eu respeito.
Mas aquele ze-que-se-acha que vem te mostrar o ultimo gadget e fica puto quando o chico-que-se-acha compra um tambem....ai.....

segunda-feira, abril 09, 2012  
Blogger pedro quera said...

tenho de concordar com o carlos,isso rende até um post. as pessoas criam estereotipos de status social,a tal tatuagem da carpa,a corrente de pitbull no pescoço,o oculos da oakley,e na verdade não se dão conta que são apenas meros frutos da absoluta falta de personalidade que a midia impõe quanto a isso..

terça-feira, abril 10, 2012  

Postar um comentário

Link permanente para este post:

Criar um link

<< Home